Editorial

Home »  Página inicial »  Editorial

Editorial

Esse espaço tem como objetivo abrir um espaço ao internauta emitir sua opinião sobre qualquer assunto vinculado ao site e a politica ambiental.

Um debate ético, sem ofensas pessoais, que promova ideias novas que possa ser úteis e implementadas seio familiar de nossa sociedade.

Debater questões cruciais sobre novos paradigmas que está sendo implementadas na nossa sociedade, tais como: A questão ambiental (com ênfase na sustentabilidade, que acabe com as demagogia mentirosas, que sejam implementado objetivos e projetos salutares, demonstrando ser capazes de promover a sustentabilidade mesmo que a curtos passos, deixando as longas falácias de lado); Os conflitos gerado pela economia mundial (esgotamento e destrutividade que se expressam nos limites materiais ao crescimento econômico exponencial); A expansão urbana e demográfica desordenada pela falta de planejamento do pode central; A tendência ao esgotamento de recursos naturais e energéticos não-renováveis; O crescimento acentuado das desigualdades sócio-econômicas intra e internacionais, que alimentam e tornam crônicos os processos de exclusão social; O avanço do desemprego dentre outros.

O que vem a ser Estado Democrático de Direito, o povo brasileiro goza de uma democracia plena?

É salutar discutir se realmente estamos numa democracia, quais nossos direitos, onde podemos atuar com respeito pleno e onde podemos desenvolver algo para beneficiar o interesse da maioria dos cidadãos;

O que vem a ser a tão falada participação popular, ainda muito distante da sociedade, no que se refere a sua estimulação à participação social dos cidadãos no planejamento, execução e avaliação das respostas formuladas para atender seus interesses difusos; E a crítica se encontra incipiente, nem todos os cidadãos das classe D e E tem conhecimento sobre tal ferramenta pois não possui uma educação eficaz para expor e analisar os fatos que vem ocorrendo diariamente (isto é, não exercita a capacidade de questionar e avaliar a realidade socioambiental, pois não possui autonomia intelectual para refletir e decidir seus próprios rumos, sabem apenas incipiente dos problemas vividos pela comunidade, porém não tem conhecimento sobre suas causas);

E a ética que tanto almejamos, será que vai demandar algum tempo para que consignamos o seu resgate, que conseguimos promover a construção de uma nova ética que priorize a defesa da vida, da solidariedade e da sustentabilidade socioambiental eliminando a malfazeja corrupção desvairada existente em nossa sociedade?